sexta-feira, 26 de abril de 2013

Vá sem demora, minha menina...



Vai menina! Desloca sua loucura daqui e arrasta contigo seu sorriso juvenil. Não guarde seu tempo em caixinhas de papel machê, porque o tempo costuma não durar.
Não se demore e leve sua cor para o mundo, ensine a tristeza como é que se colore a vida e abuse das travessuras boas que haverão de cruzar seu caminho.
Ah menina! Contorne a vida com canteiros de flores vivas e cintilantes, que é pra solidão não te procurar. Aproveita e ensina uns truques de sobrevivência para o medo, que é pra quando for preciso, você arriscar com ousadia suas incertezas.
Minha menina, não seja tola. Se liberte e ame! Se permita apaixonar e se jogar sem restrições. Deixa que os abraços sejam calorosos, os sorrisos abafados e as gargalhadas incontidas.
Apesar dos amores, faça bons amigos. Porque acredite, são com os melhores amigos que experimentamos as histórias mais engraçadas e bizarras. E também são os amigos que nos deixam a saudade mais dolorida. Então menina, ame-os!
E se apresse. Deixa, que a bagunça de velhas recordações se ajeitarão com o tempo. Vá sem demora, porque a ansiedade não sabe esperar.
Libera esse caos que existe dentro de você e sela um compromisso com o acaso. Mas saiba que eu não ficarei no aguardo de notícias, porque eu confio em você e sei que criará a sua própria felicidade por onde passar. Agora vá, minha menina!